Área Restrita

FAPAN realizou o 2º encontro do GEDES

03/10/2016
Notícias
Graduação




No último dia 29 de setembro, o corpo docente da FAPAN participou do segundo encontro do Grupo de Estudo em Docência do Ensino Superior (GEDES). Os encontros visam o estímulo e a reflexão sobre a Docência do Ensino Superior.

“Nossa ação vislumbra contribuir significativamente com a prática docente para o processo de aprendizagem do aluno, tendo o compromisso de promover atividades de formação continuada que possibilite a participação efetiva de seus docentes. No segundo encontro, a socialização do texto estudado foi conduzido pelos professores Guilherme Agerames R. Vargas e Claudia Alves Perez, contando com a participação efetiva dos professores na discussão do texto “Ética e Ciência em Modelos Retardatários” do Prof. Dr. Jadir de Morais Pessoa. O grupo organizou a dinâmica de estouro de balões, que foram distribuídos entre os docentes, que lia o trecho sorteado e comentava com todos do grupo. O enfoque do texto foi sobre Ética e Ciência sendo destacado pelo autor que “a ciência não pode negligenciar: a centralidade de homens e mulheres enquanto totalidades físicas, espirituais, culturais e políticas; as condições ambientais nas quais vivem esses homens e mulheres; e a urgência de uma compreensão intercultural da sociedade”. Desta forma o papel da faculdade é estimular a produção de conhecimento para o bem da sociedade, afirma Vargas. O próximo encontro, agendado para 25 de outubro de 2016, finalizará as discussões sobre o texto Ética e Ciência, dando início no estudo do texto sobre Andragogia.”, explicou a Coordenadora Pedagógica, Marilza Ferreira.


Para Elvys Oliveira, Diretor da FAPAN, o GEDES é mais uma das diversas ferramentas que a faculdade estimula, visando a contribuição para uma aperfeiçoamento cada vez maior por parte das práticas de ensino e aprendizagem.



 

Veja Também

19/02/2016
Graduação

Receita Federal com mais informações sobre contas

Em vigor desde o fim do ano passado, a Instrução Normativa (IN) 1.571 é acusada de quebrar o sigilo bancário dos brasileiros, hipótese descartada pela Receita. João Batista Barros, superintendente da 3ª Região do órgão, explica que não há detalhamento nas informações entregues ao Fisco. “Não se trata de entrar na conta dos contribuintes para olhar lançamentos e extratos. As instituições fornecem apenas as movimentações financeiras agregadas. Não saberemos os lançamentos individuais. Nem como ele gastou. O conhecimento será amplo, mas não detalhado”.

Comentários

CAPTCHA Image
Recarregar Imagem